Clique aqui para obter uma tradução automática do texto seguinte.
Regiões em ação: da neutralidade climática à erradicação da pobreza energética  
Um observatório europeu para a neutralidade climática e metas da UE para erradicar a pobreza energética entre os governos locais e regionais foram as medidas propostas para alcançar uma Europa neutra em termos de clima até 2050

A pobreza energética e a luta contra o aquecimento global estiveram no cerne da 23.ª reunião da Comissão do Ambiente, Alterações Climáticas e Energia (ENVE) do Comité das Regiões Europeu. A execução ao nível local dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e do Acordo de Paris em matéria de clima, bem como o apoio explícito às regiões carboníferas, foram também objeto de debate. Tendo em vista as eleições europeias em maio, Cor Lamers, presidente da Comissão ENVE, sublinhou a necessidade de «satisfazer as expectativas dos nossos jovens relativamente à crise climática que atravessamos».

Na abertura da 23.ª reunião da Comissão do Ambiente, Alterações Climáticas e Energia (ENVE), o seu presidente, Cor Lamers (NL-PPE) , presidente do município de Schiedam, declarou: «Todas as semanas os jovens europeus nos recordam a crise climática que atravessamos e temos de satisfazer as expectativas deles. Temos de apresentar medidas novas e inovadoras para maximizar o potencial de converter a transição da Europa para energias limpas em crescimento sustentável e em emprego. Na qualidade de assembleia da UE dos municípios e das regiões, estamos empenhados em envidar todos os esforços para concretizar os mecanismos formais que envolvem os órgãos de poder local e regional nas políticas da UE e nacionais relativas ao clima e à energia».

Os membros adotaram um projeto de parecer – Um Planeta Limpo para Todos – Estratégia a longo prazo da UE para uma economia próspera, moderna, competitiva e com impacto neutro no clima . O relator, Michele Emiliano (IT-PSE) , presidente da região da Apúlia, afirmou: «Para concretizarmos uma economia com emissões líquidas nulas e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, necessitamos de ações novas e de um financiamento público mais bem orientado ao nível nacional e da UE. A transição para a neutralidade carbónica constitui uma oportunidade para incentivar as tecnologias limpas, competências novas e postos de trabalho novos. A fixação apropriada dos preços das energias fósseis através das licenças de emissão e da tributação é fundamental para a transição para as energias renováveis. A Diretiva Tributação da Energia e as regras em matéria de auxílios estatais devem reduzir os impostos sobre as energias renováveis, a fim de promover a sua aceitação pelo mercado».

Os municípios e as regiões solicitam o aumento, pelo menos para 30%, da percentagem de despesas do orçamento da UE consagradas a objetivos a favor do clima, bem como reduções da carga fiscal no âmbito dos programas de financiamento da UE para a neutralidade climática. O parecer do presidente Michele Emiliano reitera o apelo do CR às instituições da UE e aos Estados-Membros para que criem uma plataforma de diálogo permanente a vários níveis sobre energia, se institucionalize o sistema de contributos determinados a nível local (CDL) no âmbito dos planos nacionais em matéria de energia e clima (PNEC) e se crie um observatório europeu para a neutralidade climática que faça o levantamento e acompanhe os territórios vulneráveis. 

O parecer de Michele Emiliano requer o envolvimento sistemático dos órgãos de poder local e regional na execução dos ODS, do Acordo de Paris e nos trabalhos preparatórios para a COP25, incluindo um representante do CR no papel de observador em todos os trabalhos preparatórios dos órgãos da CQNUAC. O parecer, que será votado durante a reunião plenária de junho, contribui para a estratégia para uma economia com impacto neutro no clima em 2050 , publicada pela Comissão Europeia em novembro de 2018.

Os membros adotaram por unanimidade o Parecer – Governação a vários níveis e cooperação transetorial para combater a pobreza energética . A relatora Kata Tűttö (HU-PSE) , representante do 12.º distrito de Budapeste, declarou: «Mais de 50 milhões de europeus têm dificuldade em aquecer as suas casas no inverno devido aos preços elevados da energia, aos rendimentos baixos e a edifícios húmidos e insalubres.    Um número demasiado elevado de europeus tem de escolher entre comer e aquecer-se no inverno. A UE definiu objetivos muito ambiciosos em matéria de energia e ambiente, é chegado o momento de definir um objetivo europeu para erradicar a pobreza energética». 

A relatora Kata Tűttö defende que todos têm o direito a uma energia acessível e propõe uma «moratória sobre a suspensão da prestação de serviços públicos devido ao não pagamento, para que nenhum agregado familiar fique sem aquecimento ou arrefecimento básico». O parecer será votado na reunião plenária de 26 e 27 de junho de 2019.

Os membros concordaram em elaborar um parecer de iniciativa sobre o Pacto de Autarcas após 2020 e designaram para relatora Benedetta Brighenti (IT-PSE) , membro do Conselho Municipal de Castelnuovo Rangone, na região de Emília-Romanha.

Os membros da Comissão ENVE reunir-se-ão entre 12 e 14 de junho de 2019, em Bucareste, para a 12.ª conferência sobre o Plano Estratégico para as Tecnologias Energéticas (Plano SET) , organizada em conjunto com a Comissão Europeia. Juntamente com a Associação de Municípios da Roménia e a Presidência romena do Conselho da UE, o evento analisará os instrumentos tecnológicos e financeiros suscetíveis de promover a aceitação pelo mercado de produtos e serviços ecológicos e inovadores e de fazer com que a transição energética se concretize ao nível local.

Os membros procederam a uma troca de pontos de vista sobre os seguintes pareceres:

Uma Europa sustentável até 2030: o seguimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, a transição ecológica e o Acordo de Paris sobre as Alterações Climáticas , relatora: Sirpa Hertell (FI-PPE). Os municípios e as regiões solicitam a definição de metas e de indicadores para medir os progressos realizados na execução dos ODS aos níveis local e regional. O parecer deve ser adotado em outubro de 2019.

Aplicação do Acordo de Paris através de uma transição energética inovadora e sustentável a nível regional e local , relator: Witold Stępień (PL-PPE). O parecer deve ser adotado em outubro de 2019.

Implementação do pacote Energias Limpas: Os planos nacionais integrados em matéria de energia e clima como instrumento para uma abordagem transversal em matéria de clima, energia ativa e energia passiva , relator: József Ribányi (HU-PPE). O parecer deve ser adotado em outubro de 2019.

Nota às redações:

As fotografias da reunião da Comissão ENVE podem ser descarregadas aqui .

Para aceder a todos os documentos da reunião da Comissão ENVE, clique aqui .

O Comité das Regiões Europeu reagiu aos diferentes elementos do pacote Energias Limpas nos seguintes pareceres:  

Um novo quadro para os consumidores de energia , relator: Michel Lebrun (BE-PPE), membro do Conselho Municipal de Viroinval (abril de 2016).

Governação da União da Energia e energias limpas , relator: Bruno Hranić (HR-PPE), presidente do município de Vidovec (julho de 2017).

Eficiência energética e edifícios , relator: Michiel Rijsberman (NL-ALDE), membro do Executivo da Província da Flevolândia (julho de 2017).

Energias renováveis e mercado interno da eletricidade , relatora: Daiva Matonienė (LT-CRE), membro do Conselho Distrital de Šiauliai.

Janeiro de 2019 – Comunicado de imprensa da CE – Um Planeta Limpo para Todos – Estratégia a longo prazo da UE para uma economia próspera, moderna, competitiva e com impacto neutro no clima. Estratégia completa (PT) .

Janeiro de 2019 – Terceiro relatório da Comissão Europeia – Preços e custos da energia na Europa .

Contacto: David Crous | david.crous@cor.europa.eu | +32 (0) 470 88 10 37

Partilhar :
 
Notícias relacionadas

1.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/SMES-HOUSEHOLD-ENERGY-CRISIS.ASPX

2.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/REGIONS-IN-ACTION-FROM-CLIMATE-NEUTRALITY-TO-ERADICATING-ENERGY-POVERTY.ASPX

Poder local e regional, PME e agregados familiares da UE precisam de apoio específico dos fundos de emergência da UE para inverterem crise energética
Poder local e regional, PME e agregados familiares da UE precisam de apoio específico dos fundos de emergência da UE para inverterem crise energética
01.12.2022

1.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/CIRCULAR-TRANSITION-TEXTILES-CLOTHING-LEATHER-FOOTWEAR-INDUSTRY-.ASPX

2.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/REGIONS-IN-ACTION-FROM-CLIMATE-NEUTRALITY-TO-ERADICATING-ENERGY-POVERTY.ASPX

EU local and regional authorities push for circular transition of the textiles, clothing, leather and footwear industry
EU local and regional authorities push for circular transition of the textiles, clothing, leather and footwear industry
30.11.2022

1.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/FOOD-CRISIS-EU-REGIONAL.ASPX

2.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/REGIONS-IN-ACTION-FROM-CLIMATE-NEUTRALITY-TO-ERADICATING-ENERGY-POVERTY.ASPX

Crise alimentar: dirigentes regionais e locais da UE apelam ao investimento na produção local em prol de alimentos sustentáveis e a preços acessíveis
Crise alimentar: dirigentes regionais e locais da UE apelam ao investimento na produção local em prol de alimentos sustentáveis e a preços acessíveis
30.11.2022

1.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/NAT-15TH-COMMISSION-DEBATE.ASPX

2.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/REGIONS-IN-ACTION-FROM-CLIMATE-NEUTRALITY-TO-ERADICATING-ENERGY-POVERTY.ASPX

15th NAT commssion: Bioeconomy debate
15th NAT commssion: Bioeconomy debate
23.11.2022

1.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/CZ-PRESIDENCY-EVENT-ON-JTF.ASPX

2.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/REGIONS-IN-ACTION-FROM-CLIMATE-NEUTRALITY-TO-ERADICATING-ENERGY-POVERTY.ASPX

Regions in transition towards climate neutrality need steady support from the EU
Regions in transition towards climate neutrality need steady support from the EU
22.11.2022