Clique aqui para obter uma tradução automática do texto seguinte.
CR apoia iniciativa de cidadania europeia contra a prática de criação de animais em gaiolas  

Guillaume Cros participou na apresentação da iniciativa de cidadania europeia «Fim da era da gaiola» no Parlamento Europeu

O relator dos pareceres do Comité das Regiões Europeu (CR) sobre a reforma da política agrícola comum (PAC) e sobre agroecologia, Guillaume Cros , participou numa audição pública no Parlamento Europeu para debater a iniciativa de cidadania europeia «Fim da era da gaiola» e reiterou a posição do CR contra a prática de criação de aves e outros animais em gaiolas, tal como estabelecido no parecer do CR – Reforma da PAC , adotado em 2018.

A iniciativa « Fim da era da gaiola » foi apresentada na quinta-feira, 15 de abril, no Parlamento Europeu, por um grupo de organizações de defesa do bem-estar dos animais. Em 2019, a iniciativa atingiu o limiar de um milhão de assinaturas necessário para a apresentar ao Parlamento Europeu e obrigar a Comissão Europeia a debater eventuais medidas a tomar.

Guillaume Cros (FR-Verdes), vice-presidente da região da Occitânia e relator dos pareceres do CR sobre a reforma da PAC e sobre agroecologia (adotado pelo CR em março de 2021), afirmou que «o Comité das Regiões Europeu tomou posição a favor da abolição da prática da criação de animais em gaiolas na Europa. Os efeitos nocivos da pecuária industrializada para o ambiente, o clima e a saúde não podem continuar a ser ignorados. Existem alternativas, e a nova PAC deve promovê-las».

Durante a sua intervenção, Guillaume Cros manifestou apoio à iniciativa de cidadania e assegurou que «a proibição da criação de animais em gaiolas contribuirá para reduzir a concentração da pecuária em determinadas regiões e permitirá manter e desenvolver uma pecuária extensiva e de pequena escala noutros territórios». Propôs igualmente que a rotulagem do modo de criação seja «clara e obrigatória, abrangendo o ciclo de criação do animal, incluindo o transporte, a fim de permitir que os produtores vejam reconhecida a melhoria das suas práticas e que os consumidores escolham produtos que correspondam aos seus critérios».

Em dezembro de 2018, o Comité das Regiões Europeu defendeu, no seu Parecer – Reforma da Política Agrícola Comum, uma transição para modos de produção sem gaiolas e mais extensivos, até 2027, a fim de responder aos desafios em matéria de bem-estar dos animais, mas também de saúde pública.

Logo em 2019, quando a iniciativa de cidadania europeia em apreço atingiu um milhão de assinaturas, Guillaume Cros manifestou apoio aos seus organizadores .

A prática da criação de aves e outros animais em gaiolas é amplamente utilizada na Europa. Todos os anos, mais de 300 milhões de animais de criação são mantidos em gaiolas em toda a União Europeia. De acordo com a organização Compassion in World Farming , 94% das pessoas na Europa consideram que a proteção do bem-estar dos animais é importante e 82% consideram que os animais de criação devem ser mais protegidos.

Contacto:

Berta López Domènech

Tel.: +32 (0)2 282 2170

Berta.LopezDomenech@cor.europa.eu

Share: