Clique aqui para obter uma tradução automática do texto seguinte.
Crise alimentar: dirigentes regionais e locais da UE apelam ao investimento na produção local em prol de alimentos sustentáveis e a preços acessíveis  

À medida que os preços dos alimentos e da energia aumentam, torna-se necessário apoiar mais os agregados familiares vulneráveis, as cadeias de abastecimento e a produção agrícola.

A guerra da Rússia contra a Ucrânia não só ameaça o abastecimento alimentar mundial, como desestabilizou ainda mais os mercados agrícolas e fez subir os preços já elevados dos géneros alimentícios, dos alimentos para animais, da energia e dos fertilizantes, que já estavam a ser afetados por perturbações existentes nas cadeias de abastecimento alimentar causadas pela pandemia e pelos efeitos da crise climática. Neste contexto, os membros do CR participaram num debate com Janusz Wojciechowski, comissário da Agricultura, e Marlene Mortler, deputada ao Parlamento Europeu, durante a reunião plenária de 30 de novembro, em que debateram formas de tornar o sistema alimentar europeu mais sustentável e mais bem preparado para enfrentar futuras crises

Reforçar os sistemas alimentares locais e regionais através do investimento numa produção local sustentável e de elevada qualidade, criar de cadeias de abastecimento mais curtas e aplicar uma estratégia de longo prazo para garantir a segurança alimentar na Europa foram as principais recomendações dos dirigentes locais e regionais, incluídas no Parecer – Preservar a segurança alimentar e reforçar a resiliência dos sistemas alimentares, elaborado por Piotr Całbecki (PL-PPE). Além disso, os membros foram ainda mais longe e afirmaram que temos urgentemente de fazer face a desafios mais estruturais e de longo prazo para nos prepararmos para eventuais crises no futuro: elaborar estratégias e planos de contingência para garantir a segurança alimentar a nível local e regional; desenvolver a legislação sobre os mercados agrícolas com vista a constituir existências agrícolas e evitar especulações financeiras.

Durante o debate, o presidente do Comité das Regiões Europeu, Vasco Alves Cordeiro, afirmou: «A guerra da Rússia contra a Ucrânia, os custos da energia, a inflação, a emergência climática e a pandemia são todos desafios que estão a exercer uma enorme pressão nos agricultores europeus e reduzem drasticamente a acessibilidade dos produtos alimentares. A crise alimentar que vivemos hoje está a ter um impacto dramático nos agregados familiares vulneráveis e há demasiados europeus que não têm dinheiro para se alimentar de forma saudável. As instituições europeias, mas também os órgãos de poder nacional, local e regional, devem agir em conjunto e conceber medidas de emergência eficazes, prosseguindo simultaneamente a nossa transição para uma economia sustentável.»

Janusz Wojciechowski, comissário da Agricultura, disse: «A atual crise confirma claramente que temos de enfrentar os desafios a curto prazo e, simultaneamente, manter a transição para sistemas alimentares mais sustentáveis e resilientes. Temos de melhorar a sustentabilidade dos nossos sistemas alimentares, não só por razões ambientais e climáticas, mas também para assegurar a nossa autonomia estratégica e reduzir as nossas dependências. Os órgãos de poder local e regional têm conhecimento em primeira mão destas questões e a Comissão Europeia congratula-se vivamente com a sua cooperação, os seus contributos e as suas soluções.»

Marlene Mortler (DE-PPE), deputada ao Parlamento Europeu e membro da Comissão da Agricultura e do Desenvolvimento Rural do Parlamento Europeu, declarou:

«A segurança alimentar a nível mundial é um grande desafio. E os desafios à escala mundial necessitam de respostas globais.O Pacto Ecológico terá mais êxito se contar com o contributo da agricultura, o que significa que precisamos de mais possibilidades, em vez de proibições e reduções, através da inovação. A questão que se coloca hoje e amanhã consiste em saber como produzir biomassa suficiente destinada à produção de alimentos para mais pessoas numa superfície mais reduzida e de uma forma que preserve os recursos e seja, por conseguinte, sustentável.»

Piotr Całbecki (PL-PPE), relator do Parecer – Preservar a segurança alimentar e reforçar a resiliência dos sistemas alimentares,e presidente da região da Cujávia-Pomerânia, declarou: «Para salvaguardar a segurança alimentar da UE temos de nos basear em sistemas alimentares locais resilientes. Tal implica incentivar uma produção alimentar regional e local mais diversificada e aproveitar plenamente o potencial das cadeias de abastecimento locais e dos contratos públicos no setor alimentar. A crise que enfrentamos hoje não é a primeira e não será a última. Por conseguinte, temos de nos preparar melhor para futuras crises, incluindo as relacionadas com as alterações climáticas e a perda de biodiversidade. A crise atual deve ser aproveitada para reduzir a nossa dependência de fatores de produção importados, como fertilizantes ou pesticidas».

Salientou igualmente que centenas de milhões de pessoas em todo o mundo estão em risco de sucumbir à fome devido à agressão da Rússia. Por conseguinte, é fundamental promover a participação dos fornecedores locais de alimentos, fertilizantes e energia na constituição de existências de intervenção mundiais.

No parecer adotado, os representantes locais apoiam o reforço das cadeias de abastecimento locais e sublinham a necessidade de cumprir os objetivos do Pacto Ecológico e a Estratégia do Prado ao Prato no terreno. Reclamam igualmente o financiamento de projetos destinados a melhorar a segurança alimentar a nível regional e apelam para uma promoção mais vigorosa da agricultura biológica e de ações sistémicas para reduzir o desperdício alimentar.

Documentos de referência:

Transmissão em direto pela Internet: no sítio Web do CR.

Contacto:

Monica Tiberi – Porta-voz do presidente

Tel.: +32 479 51 74 43

monica.tiberi@cor.europa.eu

Wioletta Wojewodzka

Tel.: +32 (0) 473 84 39 86

wioletta.wojewodzka@cor.europa.eu

Partilhar :
 
Notícias relacionadas

1.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/COP15-.ASPX

2.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/FOOD-CRISIS-EU-REGIONAL.ASPX

COP15: European Committee of the Regions formally recognised as key partner to implement the Kunming-Montreal global biodiversity framework
COP15: European Committee of the Regions formally recognised as key partner to implement the Kunming-Montreal global biodiversity framework
19.12.2022

1.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/EU'S-ZERO-POLLUTION-AMBITION.ASPX

2.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/FOOD-CRISIS-EU-REGIONAL.ASPX

The 'One Health' approach must be at the forefront of the EU's Zero Pollution Ambition
The 'One Health' approach must be at the forefront of the EU's Zero Pollution Ambition
14.12.2022

1.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/CALL-GIVE-ENERGY-EQUIPMENT-UKRAINE.ASPX

2.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/FOOD-CRISIS-EU-REGIONAL.ASPX

Call to cities and regions to give energy equipment to Ukraine
Call to cities and regions to give energy equipment to Ukraine
13.12.2022

1.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/VALEA-JIULUI-DEVELOPMENT-SOCIETY-PROJECT.ASPX

2.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/FOOD-CRISIS-EU-REGIONAL.ASPX

Valea Jiului Development Society Project crowned “Transformative Action of the Year 2022”
Valea Jiului Development Society Project crowned “Transformative Action of the Year 2022”
09.12.2022

1.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/MORE-AMBITIOUS-BIODIVERSITY-TARGETS.ASPX

2.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/FOOD-CRISIS-EU-REGIONAL.ASPX

EU cities and regions call for more ambitious biodiversity targets
EU cities and regions call for more ambitious biodiversity targets
09.12.2022