Clique aqui para obter uma tradução automática do texto seguinte.
A ponte entre as instituições europeias e os cidadãos: ‎ iniciativas de cidadania europeia devem influenciar o processo legislativo da UE  

Dirigentes locais e regionais aptos a promover iniciativas de cidadania com impacto territorial

Na 142.ª reunião plenária do CR, os dirigentes locais e regionais convidaram, pela primeira vez, representantes de duas iniciativas de cidadania europeia, na presença do vice-presidente do Parlamento Europeu responsável pela Democracia Europeia e pela Iniciativa de Cidadania Europeia, Pedro Silva Pereira, e da presidente recém-eleita do Comité Económico e Social Europeu, Christa Schweng. Com esta iniciativa, o CR lança o seu debate sobre a democracia, na perspetiva da Conferência sobre o Futuro da Europa, e demonstra o seu empenho em apoiar as iniciativas de cidadania europeia que se insiram nas suas competências políticas e que sejam relevantes do ponto de vista político para os órgãos de poder local e regional. As iniciativas de cidadania europeia facilitam e sustentam a prioridade política do CR de aproximar a Europa das pessoas. O CR, enquanto representante do nível de governo mais próximo dos cidadãos, é um parceiro fundamental para promover estas iniciativas. A Comissão Europeia deve dar-lhes o devido seguimento legislativo, sob pena não só de causar frustração em milhões de cidadãos, como também de gerar descontentamento em relação às instituições europeias.

A Iniciativa de Cidadania Europeia (ICE) , criada em 2011, é um instrumento de democracia participativa na UE, que permite aos cidadãos convidar a Comissão Europeia a apresentar uma proposta de ato jurídico em aplicação dos Tratados da UE. De acordo com o relatório da OCDE de 2020 sobre o interesse na democracia deliberativa em toda a UE , nos últimos 40 anos, os processos deliberativos representativos foram utilizados com mais frequência a nível local (52%) e regional (30%). Os órgãos de poder local e regional são, por conseguinte, os parceiros naturais para promover as iniciativas de cidadania europeia com impacto territorial. Para tal, estão disponíveis três vertentes de ação: por um lado, os membros do CR podem decidir coletivamente apoiar o objetivo de uma ICE específica emitindo um parecer de iniciativa ou uma resolução; por outro lado, a questão pode ser levantada por um membro do CR durante o debate organizado regularmente em plenária sobre as questões relativas à UE de interesse para os órgãos de poder local e regional; por último, as ICE poderão ser integradas na rede CitizEN (rede de participação dos cidadãos na UE), um instrumento pioneiro do CR para a Conferência sobre o Futuro da Europa.

O primeiro vice-presidente do CR, Vasco Cordeiro , afirmou: «As iniciativas de cidadania europeia podem representar um instrumento notável para melhorar a democracia na UE. Devemos defender sempre a democracia, a melhoria da legislação e o princípio da subsidiariedade ativa. Se não forem devidamente apoiadas, as iniciativas de cidadania correm o risco de fracassar, gerando mais frustração entre os cidadãos e comprometendo a sua confiança na UE. Este não deve ser só um debate académico fascinante, mas antes um debate político no âmbito da Conferência sobre o Futuro da Europa, a fim de encontrar novas formas de reforçar as bases democráticas da UE.»

Pedro Silva Pereira , vice-presidente do Parlamento Europeu responsável pela Democracia Europeia e pela Iniciativa de Cidadania Europeia, declarou: «A Iniciativa de Cidadania Europeia é um instrumento importante para promover a participação dos europeus no processo legislativo da União. A iniciativa, introduzida pelo Tratado de Lisboa, foi objeto de várias alterações com vista a facilitar o seu acesso, assegurando também uma maior transparência no processo de decisão da UE. Numa altura em que pretendemos lançar um debate aprofundado sobre o futuro da Europa, a Iniciativa de Cidadania Europeia pode ilustrar como é possível ampliar ainda mais a interação entre os cidadãos e as instituições da UE, em especial o Parlamento Europeu, e reforçar os mecanismos de democracia participativa. A iniciativa do Comité das Regiões não poderia ser mais oportuna, pois assegura a participação profunda dos intervenientes regionais no processo contínuo de melhoria da democracia europeia.»

Christa Schweng , presidente do Comité Económico e Social Europeu, afirmou: «Temos de colocar as pessoas no cerne das políticas da UE, seja através das organizações da sociedade civil representadas no Comité ou de instrumentos como a ICE. O CESE, a nível da UE, e os seus membros, nos respetivos países, continuarão a promover a ICE, sensibilizando para esta possibilidade, de modo a torná-la mais conhecida entre os cidadãos e, por conseguinte, mais utilizada. Queremos manter os cidadãos motivados e estimular a sua participação de forma significativa – já que a UE deve estar tão próxima quanto possível das suas populações e merecer a sua confiança. Os nossos comités desempenham um papel importante enquanto intermediários a nível da UE, mas também a nível nacional, regional e local.»

A ICE «Minority SafePack» – Um milhão de assinaturas pela diversidade na Europa , apresentada por um dos seus organizadores e pelo membro e antigo presidente do CR Karl-Heinz Lambertz , insta a UE a melhorar a proteção das pessoas pertencentes a minorias nacionais e linguísticas e a reforçar a diversidade cultural e linguística na União. Esta é uma das sete ICE que obtiveram assinaturas suficientes, concluíram todas as fases do procedimento e foram apresentadas com êxito à Comissão.

A iniciativa Votantes sem fronteiras – Plenos direitos políticos para os cidadãos da UE , uma das 14 ICE atualmente em curso (ou seja, abertas e em processo de recolha de assinaturas), apresentada por Beniamino Brunati, solicita reformas para reforçar os atuais direitos de voto e de elegibilidade dos cidadãos da UE nas eleições europeias e municipais no seu país de residência, bem como nova legislação para alargar esses direitos às eleições regionais e nacionais e aos referendos.

A rede CitizEN (rede de participação dos cidadãos na UE) é um instrumento proposto no Parecer do CR – Os órgãos de poder local e regional no diálogo permanente com os cidadãos , do relator Declan McDonnell (IE-AE), que visa associar os cidadãos à elaboração de políticas. A rede CitizEN poderá ser lançada durante a Conferência sobre o Futuro da Europa, com vista a tornar-se um mecanismo permanente no futuro, e perseguirá três objetivos:

(1) reforçar a interação entre as instituições europeias e os cidadãos, através de métodos diretos de participação a nível local e regional;

(2) fornecer exemplos de métodos de participação que possam ser utilizados de modo formal e informal; e

(3) funcionar como um repositório de informação e partilha de boas práticas de iniciativas de participação nacionais, regionais e locais em toda a União Europeia.

Os organizadores de ICE devem aproveitar a oportunidade proporcionada pelos debates organizados no âmbito da Conferência sobre o Futuro da Europa. A rede CitizEN poderá tornar-se uma infraestrutura estável e permanente, capaz de dar continuidade ao trabalho da Conferência, assegurando que os cidadãos estão bem informados e podem participar nas fases de acompanhamento e avaliação.

Contexto:

Desde 1 de janeiro de 2020, estão em vigor novas regras para tornar as ICE mais acessíveis, menos onerosas e mais fáceis de utilizar para os organizadores e apoiantes. A principal inovação técnica consiste na criação de um sistema central de recolha em linha, gerido pela Comissão Europeia. Este serviço é gratuito e permite a assinatura dos cidadãos através da identificação eletrónica. Os organizadores podem também optar por criar o seu próprio sistema de recolha em linha até ao final de 2022. Desde 2012, foram registadas 75 iniciativas.

O CR adotou três pareceres sobre este tema:

– A Iniciativa de Cidadania Europeia (CdR 167/2010), adotado em 2010 (relatora: Sonia Masini);

Iniciativa de Cidadania Europeia (CIVEX-VI/005), adotado em outubro de 2015 (relator: Luc Van den Brande);

Regulamento sobre a iniciativa de cidadania europeia (CIVEX-VI/028), adotado em março de 2018 (relator: Luc Van den Brande).

O Parecer – Refletir sobre a Europa: a voz dos órgãos de poder local e regional para restabelecer a confiança na União Europeia , adotado em outubro de 2018, inseriu a Iniciativa de Cidadania Europeia no âmbito mais alargado da democracia e da participação dos cidadãos, podendo ler-se o seguinte: «importa reforçar os instrumentos participativos, como a Iniciativa de Cidadania Europeia (ICE); enquanto instrumento complementar às atuais estruturas da democracia representativa a nível da UE, bem como complementar aos elementos inovadores adicionais do processo decisório participativo e do diálogo permanente, as iniciativas de cidadania europeia podem contribuir para mobilizar os cidadãos para uma causa comum, destacar a dimensão europeia de importantes questões políticas, estimular a realização de debates pan-europeus e despertar a opinião pública correspondente».

Na mesma perspetiva, a Resolução do CR – Propostas para o novo mandato legislativo da União Europeia , adotada em junho de 2019, incluiu a Iniciativa de Cidadania Europeia entre os instrumentos de democracia participativa existentes que reforçam a legitimidade e as bases democráticas da UE e que devem ser complementados por novos instrumentos, como um sistema permanente de diálogo com os cidadãos.

Contacto:

Marie-Pierre Jouglain

mariepierre.jouglain@cor.europa.eu

Tel.: +32 (0)473 52 41 15

Partilhar :
 
Notícias relacionadas

1.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/CIVEX-1-FEBRUARY-2023.ASPX

2.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/BRIDGING-EUROPEAN-INSTITUTIONS-CITIZENS.ASPX

Eastern Partnership and media freedom opinions win early backing
Eastern Partnership and media freedom opinions win early backing
01.02.2023

1.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/LOCAL-AND-REGIONAL-LEADERS-ENGAGED-FOR-BETTER-EU-LAWS.ASPX

2.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/BRIDGING-EUROPEAN-INSTITUTIONS-CITIZENS.ASPX

Local and regional leaders engaged for better EU laws: Anne Karjalainen and Michiel Rijsberman appointed rapporteurs on public procurement and Digital Europe programme
Local and regional leaders engaged for better EU laws: Anne Karjalainen and Michiel Rijsberman appointed rapporteurs on public procurement and Digital Europe programme
31.01.2023

1.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/MPAA-2023.ASPX

2.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/BRIDGING-EUROPEAN-INSTITUTIONS-CITIZENS.ASPX

Michałowo wins Mayor Paweł Adamowicz Award for helping refugees on the border with Belarus
Michałowo wins Mayor Paweł Adamowicz Award for helping refugees on the border with Belarus
13.01.2023

1.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/EUROPCOM-2023-CALL-FOR-PROPOSALS.ASPX

2.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/BRIDGING-EUROPEAN-INSTITUTIONS-CITIZENS.ASPX

EuroPCom 2023 - Call for Proposals
EuroPCom 2023 - Call for Proposals
14.12.2022

1.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/EUROPEAN-CAPITALS-INCLUSION-DIVERSITY-AWARD.ASPX

2.HTTPS://COR.EUROPA.EU/PT/NEWS/PAGES/BRIDGING-EUROPEAN-INSTITUTIONS-CITIZENS.ASPX

European Capitals of Inclusion and Diversity Award: Submissions are now open
European Capitals of Inclusion and Diversity Award: Submissions are now open
09.12.2022