Aliança das Regiões do Setor Automóvel 

Para uma transição justa, equitativa e bem-sucedida das regiões do setor automóvel da Europa 

​​A Aliança das Regiões do Setor Automóvel é uma rede política de regiões empenhada numa transição bem-sucedida do setor automóvel e da indústria de componentes da Europa. A aliança é uma iniciativa do Comité das Regiões Europeu. Procura reunir as regiões dotadas de um setor automóvel e de componentes robusto e que pretendam desempenhar um papel ativo na descarbonização do setor dos transportes e contribuir para concretizar os objetivos do Pacto Ecológico Europeu, reforçando simultaneamente os ecossistemas industriais e a criação de valor a nível regional e assegurando a coesão económica e social em todas as regiões europeias afetadas pela transição. Um parceiro essencial da aliança é o Grupo Inter-regional para o Futuro da Indústria Automóvel do Comité das Regiões Europeu (GIFIA do CR), ativo neste domínio desde 2009. O GIFIA do CR será o facilitador fundamental para a cooperação e ação futuras da aliança.

Índice

Os nossos objetivos

A Aliança das Regiões do Setor Automóvel visa assegurar que a transformação sustentável do transporte rodoviário e do setor automóvel da UE não deixa nenhuma região para trás.

A aliança solicita que a UE intervenha para alcançar os seguintes objetivos:

1.Criar urgentemente um mecanismo europeu de apoio a uma transição justa, equitativa e bem-sucedida para as regiões europeias do setor automóvel e da indústria de componentes, nomeadamente através da introdução de rubricas orçamentais adicionais específicas nos vários fundos e programas europeus;

2.Realizar uma avaliação pormenorizada do impacto territorial (a nível regional) das consequências da transformação do setor automóvel, como ponto de partida para o quadro de transição justa, incluindo um levantamento pormenorizado do impacto no crescimento e no emprego a nível regional;

3.Dar resposta aos desafios e oportunidades comuns para as regiões e as PME no tocante à cadeia de abastecimento do setor automóvel, que será particularmente afetada pela transição do transporte rodoviário para o transporte ferroviário;

4.Apoiar a requalificação e a melhoria das competências da mão de obra (regional), a fim de evitar a perda de postos de trabalho nas nossas regiões. Temos de acompanhar a oferta e a procura das competências pertinentes e prever as futuras necessidades, em articulação estreita com o quadro pan-europeu proporcionado pelo Pacto para as Competências e, em especial, com a Aliança para as Competências no Setor Automóvel

5.Continuar a desenvolver um quadro de investigação sólido para a transformação industrial e a inovação no setor automóvel europeu, aumentando a resiliência da cadeia de abastecimento de matérias-primas estratégicas e críticas; 

6.Assegurar a flexibilidade das orientações relativas aos auxílios estatais (incluindo o regulamento de isenção por categoria), para permitir às regiões do setor automóvel orientar e gerir esta transformação e evitar os seus efeitos negativos. Também devem ser tomadas medidas de apoio para que os órgãos de poder local e regional possam acelerar a adoção de tecnologias inovadoras através de contratos públicos; 

7.Apoiar as regiões na implantação de estações de abastecimento e carregamento acessíveis ao público, a fim de promover a adoção de veículos elétricos e de veículos que utilizem combustíveis alternativos com nível nulo ou baixo de emissões de carbono. Para a coesão territorial e social, é imperativo que estas estações estejam disponíveis em todas as regiões e sejam interoperáveis além-fronteiras; 

8.Concentrar os fundos de investimento públicos e privados disponíveis nas várias soluções tecnológicas (por exemplo, eletrificação, tecnologias do hidrogénio e combustíveis sintéticos), para assegurar a competitividade e a inovação da indústria automóvel europeia; 

9.Estabelecer uma abordagem de governação e parceria a vários níveis para esta transição, com vista a um planeamento político adequado e eficaz, à ação orçamental e ao diálogo com todas as partes interessadas e com os poderes públicos a todos os níveis, incluindo a Comissão Europeia, o Conselho e o Parlamento Europeu;

10.Apoiar esta aliança enquanto principal plataforma aberta de coordenação das regiões do setor automóvel e da indústria de componentes, para que possam trabalhar em conjunto a nível regional, nacional e europeu, e em articulação estreita com as iniciativas existentes, a fim de assegurar o êxito da transição.​

Estrutura de ​governação

Região presidente: Saxónia

Regiões copresidentes: Navarra (próxima presidente) e Lombardia

O trabalho da Aliança é orientado pela região presidente e pelas regiões copresidentes e estabelecido no programa de trabalho. Estas regiões representam a Aliança a nível político e são responsáveis pela Conferência Anual da Aliança, em que são escolhidas as regiões que lhes sucederão enquanto presidente e copresidentes.

Todas as regiões participantes estão representadas nos trabalhos no grupo «Sherpa» da Aliança. O presidente da Comissão COTER do Comité das Regiões Europeu (CR) assegura a representação política do CR na Aliança, enquanto o secretariado técnico é organizado pelo CR.


Documentos

Multimédia

High Level Political Meeting of the Automotive Regions Alliance in Leipzig

 

Veja mais

  • High Level Political Meeting of the Automotive Regions Alliance in Leipzig
    High Level Political Meeting of the Automotive Regions Alliance in Leipzig
  • Press Conference Automotive Regions Alliance Leipzig 11/2022
    Press Conference Automotive Regions Alliance Leipzig 11/2022
  • 150th Plenary Session: Debate on the Automotive Regions Alliance​​ with Nicolas SCHMIT, European Commissioner for Jobs and Social Rights
    150th Plenary Session: Debate on the Automotive Regions Alliance​​ with Nicolas SCHMIT, European Commissioner for Jobs and Social Rights

Fotografias

Siga-nos

Contacto

Partilhar :
 
Back to top